Entrevistas
 
topo-comunidade.png
 
Entrevistas

Mais da metade das empresas não consegue detectar ataque virtual sofisticado, aponta EY

Pesquisa mostra que 37% das empresas não têm informações em tempo real para combater ataques 

A segurança da informação das empresas pode estar em perigo. Para 56% das organizações é improvável ou pouco provável que elas sejam capazes de detectar um ataque cibernético sofisticado. O resultado é do estudo anual Global Information Security Survey, realizado há 17 anos pela Ernst & Young (EY). A pesquisa foi realizada entre junho e agosto de 2014. Participaram 1.825 respondentes de 60 países — 54 no Brasil. 

A pesquisa identificou três principais obstáculos enfrentados hoje pelas empresas: falta de agilidade, falta de orçamento e falta de capacitação em segurança cibernética. 

No quesito falta de agilidade, a pesquisa mostrou que as empresas entendem que existe um perigo claro e presente, mas as organizações não estão se movimentando com velocidade suficiente para mitigar os riscos. Segundo o levantamento, 67% dos executivos de grandes companhias acreditam que há crescentes ameaças de ciberataques, mas mais de um terço (37%) não têm informações em tempo real necessárias.

 A falta de orçamento também é ponto crítico. O orçamento total de segurança da informação das empresas será o mesmo nos próximos 12 meses para 43% dos respondentes. Sergio Kogan, sócio da EY, destaca que apenas 5% afirmaram que o orçamento atual diminuirá. “Embora haja maior atenção em relação aos crimes cibernéticos nas diretorias e entre diretores não executivos, parece que esse interesse não se traduz em recursos orçamentários adicionais. Ainda há a necessidade de mais dinheiro e maiores recursos para enfrentar de forma efetiva as ameaças crescentes”, afirma o sócio. 

Leia mais...
 

Referência mundial

21 Mai de 2012 | GRC Management

Saiba o que mudou no cenário de Gestão de Riscos depois do lançamento da ISO 31000, de acordo com o Diretor de Tecnologia e Sócio-Fundador da Módulo Alberto Bastos.

Leia mais...
 

Uma gigante que mede seus passos

Vivo se adapta à volatilidade do mercado e implanta soluções sólidas em ERM para atuar de forma flexível e integrada

“Nós começamos de forma isolada na Segurança da Informação e depois expandimos para as demais áreas, usando a mesma metodologia. A ferramenta nos permite incluir padrões de melhores práticas específicos”, Paulo Martins – Diretor de Risco e Segurança da Informação da Vivo.

Leia mais...
 

A chave do negócio

13 Dez 2010| FONTE - GRC Management Magazine

Um dos maiores nomes mundiais em GRC, Scott Crawford aponta a tendência nas organizações de aproximar a Gestão de Riscos em TI dos objetivos do negócio.

Leia mais...
 

Compliance vai além do cumprimento de regras

08 Nov 2010| FONTE - GRC Management Magazine

O compliance ajuda a empresa a detectar os maiores riscos e a trabalhar com seu maior bem: os profissionais.

Leia mais...
 

Pesquisa mapeia satisfação no ambiente de trabalho

Em entrevista à GRC Management Magazine, Edison Chiedde, gerente de TI Corporativa e Segurança da informação das Empresas Rodobens, conta como esse projeto foi desenvolvido na companhia.

Leia mais...
 



Comunidade